Home / Conteúdo / Notícia

http://is.gd/UYi1nd|http://is.gd/UYi1nd|http://www.webrun.com.br/h/noticias/os-mitos-de-venus-parte-ii-nao-perca-a-cabeca-na-luta-contra-a-balanca/5558
Notícias

Por André Vazquez | 12/09/2006 - Atualizada às 12:51

Os mitos de Vênus parte II: não perca a cabeça na luta contra a balança

Confira a segunda parte do artigo do colunista André Vazquez. Ele aponta alguns mitos para o emagrecimento feminino e dá soluções.

Mito 4: Se treinar para uma maratona, queimarei toda a gordura. Ser maratonista não é garantia de ser magro. A maioria dos maratonistas de mais de quatro horas tem entre cinco e 10 quilos de peso extra apesar de correr habitualmente, especialmente as mulheres com mais de 35 anos. Isto acontece porque o treinamento fica centrado na resistência, e as pessoas esquecem de cuidar da massa muscular. Quanto maior é a massa muscular, mais calorias se queimam ao longo do dia.

Solução Feminina: as mulheres têm menos porcentagem de massa muscular e devem fazer um trabalho específico de musculação entre duas e três vezes por semana para ganhar músculos e perder gordura, correr apenas não basta. Ir à academia te aborrece? Consiga uma tabela de exercícios para fazer em casa e obrigue-se a fazer também treinos intervalados pelo menos uma vez por semana, ou faça circuitos fechados.

Mito 5: O casal que corre junto, emagrece junto.
A verdade é que um homem normal só precisa começar a correr para emagrecer até seis, sete quilos em um mês, comendo de forma saudável e sem seguir uma dieta para perder peso. Em compensação, a maioria das mulheres não perde quilos só com começar a correr, inclusive podem chegar a ganhar peso, apesar de que perdem sim, volume e começam a notar que a roupa vai ficando grande. Há duas explicações para isso. Por um lado a maioria das mulheres pesa menos que os homens, portanto gastam menos calorias para o mesmo nível de atividade pelo simples fato de que tem que deslocar menos peso ao correr.

A outra explicação está em que as mulheres têm maior porcentagem de gordura que os homens para ter reserva extra como “mães em potencial”. Um homem normal tem uma porcentagem de gordura entre 10 e 15 %, enquanto uma mulher normal tem entre 20 e 30 % de gordura, grande parte da qual é impossível de eliminar e está localizada em suas “curvas femininas”. A realidade é que as mulheres são o autêntico “sexo eficiente” e tem um metabolismo muito econômico que guarda gordura para sobreviver nas épocas de escassez.

Solução Feminina: é preciso enganar ao metabolismo. Por um lado fazendo do exercício um hábito para toda vida, mas não fazer sempre o mesmo, assim conseguirá se manter no peso e tonificada. Por outro lado, nunca passe fome, para que não se inicie o mecanismo de economia energética do organismo. Para conseguí-lo deve-se comer ao menos cinco vezes ao dia. Evite passar mais de três horas sem comer, coma alimentos ricos em fibras que se digerem mais lentamente e com um índice glicêmico baixo para não provocar desequilíbrios de glicose no sangue. As pequenas comidas como frutas, saladas, verduras, carnes e peixes grelhados, são as mais aconselhadas.

Mito 6: Emagrecer é apenas questão de matemática.
Segundo cálculos, para perder meio quilo de gordura é preciso queimar 4.500 kcal (1gr de gordura = 9 kcal, 500gr x 9 = 4.500 kcal), portanto comendo menos calorias e treinando mais, certamente emagrecerá. No entanto um estudo realizado na Universidade de Columbia revelou que as mulheres são mais eficientes do ponto de vista energético, o que as prejudica na hora de emagrecer, pois para perder meio quilo de gordura necessitam queimar mais calorias, umas 5.500 kcal aproximadamente.

Solução Feminina: para emagrecer apenas um quilo deve-se comer menos calorias e treinar mais que um homem. A solução está em escolher alimentos baixos em calorias e ricos em fibras para não passar fome e planificar o treinamento variando a intensidade e a resistência para despistar a “eficiência feminina”.

Mito 7: se te sobra peso é porque comes muito.
Deixe o preconceito de lado e esqueça de julgar a primeira vista. Muitas mulheres comem pouco e treinam muito e apesar de não estarem gordas, não conseguem perder os “pneuzinhos”. Todos somos um produto de nossos genes, e da mesma forma que não podes crescer por mais alongamentos que faças, tampouco podes ter uma figura de modelo à base de passar fome e treinar sem descanso.

Solução Feminina: aprenda a aceitar-te, esqueça dos quilos e da dieta e procure levar uma alimentação saudável e fazer exercício para estar melhor, ter saúde, eliminar o stress e o mais importante: divertir-se. Se você tem curvas, desfrute delas e aprenda a viver com elas.

André Vazquez


Consultor Webrun da seção Ultramaratona. É graduado em Educação Física e Mestre em Psicologia do Esporte pela Universidade de Madri. Recordista continental de ultramaratona de 48 horas com 357,2 km (Phoenix), nono colocado no ranking mundial de ultramaratona de 48 horas (2000) e em 1997 foi o recordista mundial de quantidade de maratonas feitas em um ano. Ao todo foram 51 maratonas.

Comentários

Publicidade

Publicidade