Home / Conteúdo / Notícia

|http://www.webrun.com.br/h/noticias/corrida-inibe-mas-tambem-pode-causar-o-aparecimento-dos-vasinhos/13484|http://www.webrun.com.br/h/noticias/corrida-inibe-mas-tambem-pode-causar-o-aparecimento-dos-vasinhos/13484
Notícias

Por Fabiana Coletta | 13/04/2012 - Atualizada às 08:30

Corrida inibe, mas também pode causar o aparecimento dos vasinhos

Marquinhas na perna dependem da genética de cada mulher

  • Os vasinhos nas pernas são estéticos e não causam mal à saúde Crédito: Lululemon Athelic/Licença Creative Commons

Não há mulher no mundo que não se preocupe com o aparecimento dos indesejáveis vasinhos, principalmente nas pernas. Muitas vezes, a prática de exercícios físicos, como a corrida, fica conhecida como a principal vilã para quem tem as marquinhas.

O que chamamos de vasinhos são capilares invisíveis responsáveis pela irrigação sanguínea da pele e, quando eles se rompem, adquirem uma cor arroxeada e tornam-se visíveis. Porém a relação entre eles e a corrida é muito variada e depende exclusivamente da genética de cada mulher.

Quem já tem uma predisposição genética pode desencadear o aparecimento dos vasinhos por diversos fatores, entre eles os exercícios de impacto, como a corrida. Alguns medicamentos, como a pílula anticoncepcional, também facilitam o seu aparecimento.

“Se a mulher não tem a predisposição genética, ela pode correr o tanto que for que ela não vai ter nenhum vasinho. A corrida, sozinha, não vai provocar os vasinhos”, ressalta Sílvia Casseb, médica ginecologista do Setor de Ginecologia do Esporte da Escola Paulista de Medicina (Unifesp).

A ideia que a prática esportiva faz aparecer vasinhos vai contra o principal benefício da corrida, que é a melhora da circulação global do organismo, principalmente nas veias maiores da perna, que são veias mais profundas, nas varizes pélvicas, no interior do abdômen, nos ovários e no útero.

“Durante o exercício físico, o sangue flui mais rápido por todas as veias, evitando a estase venosa, que é um fator de risco para varizes”, expõe a doutora.

Isso significa que, apesar de a corrida ser um fator desencadeante dos vasinhos, ela, ao mesmo tempo, inibe o rompimento dos capilares. “O fator de risco mais importante é a predisposição genética”, enfatiza Sílvia.

É importante lembrar que os “vasinhos” são apenas marcas superficiais e puramente estéticas. “Eles não causam nenhum mal à saúde e a circulação sanguínea da pele não é prejudicada, pois existem centenas de microvasinhos que fazem a função daquele que se rompeu”.

Comentários

Publicidade

Publicidade